— NOTÍCIAS

Unicamp participa de premiação que reconhece ações inclusivas no estado de São Paulo

Evento ocorreu no dia 12/12



A Unicamp participou na noite da última quarta-feira, 12/12, da 7ª edição do Prêmio de Ações Inclusivas Para Pessoas Com Deficiência do Governo do Estado de São Paulo. Estiveram presentes na cerimônia a Pró-Reitora e Graduação, Eliana Amaral, a Coordenadora da Central de Tradutores e Intérpretes Libras (TILS), Andréa Rosa, os colaboradores Lilian Ferreira Paiato, Juliana Fernandes da Silva e Clóvis de Souza, além da doutoranda Keyla Ferrari e a jornalista Maria Alice da Cruz.

Com o objetivo de dar cumprimento à Missão e Visão da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, o prêmio foi criado em 2010 e busca estimular a implementação de ações e projetos voltados às pessoas com deficiência e o aprimoramento da gestão de suas políticas públicas, em especial na atuação com os municípios paulistas. Para Linamara Rizzo Battistella, Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, “todos os inscritos merecem reconhecimento público e nossos efusivos aplausos, pois o gestor público e as organizações da sociedade civil expõem seu comprometimento, alinhados à lógica da construção de uma sociedade para todos, investindo tempo, dedicação e erário público ou privado na promoção da inclusão social das pessoas com deficiência, público que por tantos anos permaneceu invisível, mas que, cada vez mais, conquista espaço e assume seu protagonismo social”. De acordo com a Secretaria, as pessoas com deficiência somam 45,6 milhões no Brasil e 9,3 milhões no Estado paulista.

Em 2017, a Central de Tradutores e Intérpretes Libras (TILS) da Unicamp foi premiada na categoria governamental por suas ações de eficácia na mediação da comunicação entre pacientes surdos e profissionais da saúde, possibilitando a melhor compreensão ao longo do atendimento médico. Segundo a Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Cidadania de Campinas, há cerca de três mil surdos usuários de Libras em Campinas e a extensão do atendimento realizado na Universidade aos surdos da região para os serviços da área da saúde na Unicamp contribuem para uma sociedade mais inclusiva e reforça o lugar da Universidade Estadual de Campinas como uma das melhores universidades do mundo. A TILS, um órgão ligado à Pró-Reitoria de Graduação, oferece apoio a estudantes de Pós-Graduação e Graduação surdos e atende a demandas de seus serviços especializados de tradução em eventos, além de criação de janela de libras em vídeos produzidos na instituição.  

 

A Pró-Reitora e Graduação, Eliana Amaral, a Coordenadora da Central de Tradutores e Intérpretes Libras (TILS), Andréa Rosa e os colaboradores Lilian Ferreira Paiato, Juliana Fernandes da Silva e Clóvis de Souza

 

Em 2018, diferente dos anos anteriores, foram reunidas as ações inclusivas finalistas do ano e dos anos anteriores com o intuito de promover a troca de informações e experiências. Os vencedores e todos os finalistas estiveram presentes na sede da Secretaria para contar um pouco de sua trajetória e desafios e pensar sobre ações futuras. Outra inovação desta edição foi a premiação de matérias produzidas por diferentes veículos da imprensa de todo o Brasil sobre temas de inclusão de pessoas com deficiência. Entre os anos de 2010 e 2017, 150 organizações conquistaram a classificação como finalistas do Prêmio de Ações Inclusivas para Pessoas com Deficiência no Estado de São Paulo.

Ligada às atividades de extensão promovidas pela Faculdade de Educação Física (FEF) da Unicamp, Keyla Ferrari, aluna de doutorado do instituto participou da premiação juntamente com integrantes da Cia. de Dança Humaniza, parceira da Unicamp no projeto “Inclusão pela Dança” com as performances "Amor de Índio", de Beto Guedes e "Ensaboa", da cantora Marisa Monte. Já conhecido pela participação em eventos de dança, matérias jornalísticas e premiação, há 15 anos a companhia atua com aproximadamente 30 bailarinos em cadeira de rodas e síndrome de Down em sua maioria. As experiências acumuladas ao longo do tempo foram inseridas na Unicamp em 2009, quando Keyla ingressou no mestrado em educação física, com orientação do professor Paulo Ferreira de Araújo. Atualmente as aulas do projeto acontecem no CIS Guanabara, órgão da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) e viabiliza a interação dos bailarinos com alunos da Unicamp em geral, além de monitores, voluntários e estagiários de outras universidades.

De acordo com o professor Paulo Ferreira de Araújo, a FEF tem uma experiência reconhecida em educação física adaptada e mesmo que o aluno não vá atuar com pessoas com deficiência, é importante frequentar as disciplinas da grade curricular. Para ele, ao levar a experiência de inclusão com pessoas com deficiência na dança para a academia, Keyla coloca a Faculdade de Educação Física num patamar internacional, já que, por meio de seu trabalho na escola de dança e do projeto de extensão, ela foi convidada para oferecer aulas em outros países e em 2015 foi convidada a presidir a sessão do Conselho Internacional de Dança (CID) da Unesco em Campinas. “Ela foi à Grécia, a convite do presidente do CID”, acrescenta Araújo.

Para a Pró-Reitora de Graduação da Unicamp, Eliana Amaral, a participação da Unicamp nessa premiação simboliza o compromisso da Universidade com a diversidade em todas as suas formas e seu esforço de inclusão. Segundo Eliana, a experiência da inclusão nos serviços de saúde reconhecida pelo prêmio em edição anterior representa um dos eixos formativos essenciais aos cursos de Graduação da Unicamp, que buscam ampliar suas estruturas curriculares amparadas nessas discussões e orientadas pelas necessidades da sociedade e da comunidade onde está inserida. “A todos que tão bem representaram e representam a Unicamp, os parabéns e nossos agradecimentos. Que os cumprimentos sejam também dirigidos à Secretaria que promove essa oportunidade e aos premiados, com a novidade de inclusão da imprensa de todo o Brasil" completa a Pró-Reitora.     

Para saber mais sobre o prêmio clique aqui.

Para saber mais sobre a Central de Tradutores e Intérpretes Libras (TILS) clique aqui

Para saber mais sobre o projeto “Inclusão pela Dança” clique aqui.

Confira também o episódio do projeto “Extensão 48” sobre as atividades do Projeto de Extensão da FEF: